Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > O PORTFÓLIO
Início do conteúdo da página


PORTIFOLIO 2

 

A Gestão de Projetos no Exército Brasileiro iniciou na Seção de Projetos da 2ª Subchefia do Estado-Maior do Exército (EME), em 2005. Posteriormente, em 2007, a seção foi transformada na Assessoria Especial de Gestão de Projetos, a qual deu origem ao atual Escritório de Projetos do Exército (EPEx), em 2010, tudo no âmbito do EME.

Esse processo de evolução se deu a partir da capacitação de pessoal, ganho de experiência e avanços metodológicos e práticos, os quais foram marcados pela primeira tradução do Guia de Melhores Práticas em Gestão de Projetos do PMI1, para o português, em 2009. Outro passo fundamental foi a edição das Normas para Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento de Projetos no Exército Brasileiro (NEGAPEB), em 2012.

A partir desses marcos, o Exército atribuiu a equipes específicas a missão de gerenciar os atuais Projetos Estratégicos, as quais, sem referências anteriores e de forma inédita, passaram a executar o trabalho com base nas normas aprovadas.

Atualmente, com a experiência acumulada de cerca de quatro anos de gestão apoiada nas NEGAPEB e com o aprofundamento do conhecimento do referencial teórico existente2, foi possível diagnosticar a necessidade de mudanças e aperfeiçoamento de metodologia de gerenciamento dos Projetos Estratégicos do Exército (PEE).

Com o diagnóstico dos atuais PEE constatou-se que, na realidade, no nível estratégico, o Exército conduz um portfólio integrado por subportfólios, programas e um projeto. Verificou-se, portanto, a necessidade de mudanças nos processos de gestão e na classificação dessas iniciativas.

As mudanças não representam a simples inserção de neologismos às normas da Força ou mera mudança semântica de termos utilizados no ambiente corporativo. O que ocorre é que os escopos dos atuais PEE caracterizam-se por elementos que sugerem a existência de Programas, ao invés de Projetos. Os resultados desses programas, ao gerarem novas capacidades, permitirão a transformação do Exército, conforme o planejamento estratégico, resultando em benefícios para a sociedade e para a defesa do Estado. Os programas reunidos guardam estreita ligação com os objetivos estratégicos da Força, o que resulta na existência de um portfólio.

Identificou-se que a Força estava gerenciando como projetos, o que, na realidade, são programas integrantes de um portfólio estratégico. Por isso, foi realizado um extensivo estudo, que concluiu pela necessidade de definir e desenhar o Portfólio Estratégico do Exército, com clara aderência ao Mapa Estratégico da Força e à metodologia de gestão internacionalmente aceita.

Diante disso, o Estado-Maior do Exército, sob coordenação do EPEx e a participação dos Órgãos de Direção Setorial (ODS) e Operacional (ODOp), além dos Comandos Militares de Área, chegou a uma solução, conforme figura acima.

Definido o Portfólio, os Subportfólios, os Programas e o Projeto, a próxima etapa é a implantação. Para tanto, faz-se necessário considerar, principalmente, a edição das Normas de Elaboração, Gerenciamento e Acompanhamento do Portfólio e dos Programas Estratégicos do Exército (NEGAPORT – EB); a reestruturação do EPEx para executar os novos processos de gestão; o uso intensivo e extensivo de ferramentas de Tecnologia da Informação; e o estabelecimento adequado de uma árvore de indicadores, coerente com o Sistema de Medição do Desempenho Organizacional do Exército.

Grande desafio e muito trabalho à frente, o que motiva o pessoal envolvido.

1 - O Project Management Institute (PMI) editou e mantém atualizado o Guia PMBOK – Project Management Body of Knowledge – uma compilação das melhores práticas catalogadas sobre gestão de projetos no âmbito mundial.

2 - Além da interação com o PMI, de origem norte-americana, novos conhecimentos foram buscados nas metodologias Prince2 e MSP – Managing Successful Programs, de origem britânica, foi intensificada a participação em congressos sobre gerenciamento de projetos e realizadas capacitações com o Escritório de Projetos do Banco Central do Brasil, uma referência nacional no tema.

Fim do conteúdo da página